Tempo, tempo, tempo

Nestes últimos dias, comecei a divagar sobre o tempo e seus privilégios. Fiz um exercício. Dolorido, na verdade. Porque a gente conhece bem as desvantagens desta conta.

Neste 2021, em junho, eu completo 58 primaveras. E, na contramão do que deveria ser óbvio, eu tenho amado envelhecer. Sonho em chegar ao 60 anos e encher a boca para revelar a minha idade.

É que o interessante mesmo de ficar mais velho (ou mais experiente, rs) é que você, independente de querer ou não, será reconhecido como tal.

Me lembro bem de quando cheguei aos 30 anos e comecei a ser chamado de tio aqui, tio ali. Confesso que não me surpreendi e nem achei estranho.

Mas quando cheguei aos 40, lembro bem de uma vez em que estava com o Germano Pereira, o ator, que na época tinha vinte e pouquinhos anos. Fui acompanhá-lo em uma agência de atores e a atendente me perguntou se eu era o pai dele. Desta vez eu fiquei bem confuso.

Um tempinho antes do isolamento social eu estava numa loja com o Felipe, filho da Cibele, minha secretária, e a vendedora quis saber se o pequenino era meu neto. Como atualmente eu estou muito bem com a minha idade, a questão da vendedora me deixou até feliz. Sério. Comecei a sonhar o quanto seria lindo ter um neto nessa altura da minha vida. Acho que o avançar no tempo te deixa mais perto da poesia.

Então, pra ratificar a questão do tempo em minha vida, o curioso é que ultimamente eu tenho recebido várias homenagens. E tudo vira poesia, creiam.

Em 2017, tanto o Prêmio APCA quanto o Aplauso Brasil, me concederam prêmios especiais pela minha trajetória. No Aplauso Brasil eu figurei ao lado de Ruth de Souza, Renato Borghi e Etty Frazer. Vejam só que luxo!

Há dois anos, o vereador Celso Giannazi me concedeu o Título de Cidadão Paulistano e o grupo Caixa Preta de Teatro, de Registro, interior do estado, batizou com meu nome a sala de espetáculos da trupe.

No ano passado, o secretário de Cultura e Economia Criativa de São Paulo, Sergio Sá Leitão, me conferiu o Prêmio do Estado de São Paulo para as Artes, categoria Formação e Capacitação. E veio mais um, diretamente de Londres, o Prêmio Top 100 Achievements 2020, concedido pelo Achievements Forum, que elencou a SP Escola de Teatro como referência na educação e na pedagogia do planeta

E, agora, nos chegam honrarias que vêm de lugares tão inusitados como Índia e Estados Unidos. Nosso “The Art of Facing Fear” ganhou prêmios em Calcutá e na Califórnia, além de ter sido indicado em premiações importantes aqui, no Brasil, como APCA e Prêmio Arcanjo de Cultura.

Por isso, aconselho que envelheçam. O tempo pode, sim, ser um bom amigo e trazer esperança pra vida da gente.

+++ Na foto, em Nova York, 2008

Ator, roteirista e cineasta. Co-fundador da Cia. Os Satyros e diretor executivo da SP Escola de Teatro.
Post criado 1271

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo