Por aqui…

Acontece assim: diretamente, respondo pela vida de milhares de pessoas. Sem nenhum exagero. Com uma decisão mal tomada, posso acabar com muitos, muitos sonhos. Nos últimos tempos, acumulam-se boletos e holerites que necessitam de pagamentos, à exaustão.

Sem contar que não posso fazer de conta que não estou vendo o que, também, está acontecendo na janela ao lado da minha. Meus colegas de profissão estão sofrendo. E não é tão somente pela falta de itens básicos de sobrevivência, em suas despensas. Sofrem pela humilhação também. Então eu sofro junto, não tem como fazer de conta que não é comigo.

Daí tem o meu Satyros querido. Chegamos a 31 anos de trabalho contínuo, árduo e sem trégua. Aguentando os trancos habituais do dia a dia. Somos muitos, muitos mesmo. E a nossa dignidade, onde fica? Porque, sabemos, não voltaremos à cena neste ano. Com muita, muita sorte, talvez, em algum momento do ano que vem. E o que faremos enquanto isso?

Por isso choro.
.

Ator, roteirista e cineasta. Co-fundador da Cia. Os Satyros e diretor executivo da SP Escola de Teatro.
Post criado 1100

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo