NA MÍDIA: FESTIVAL ESTREIA A MOSTRA XXX

Duas das três peças apresentadas na Mostra XXX são baseadas no clássico Satyricon, de Petrônio, escrito há 2070 anos. Os diretores Edson Bueno (Satyricon Delírio) e Rodolfo Garcia Vázquez (Satyro’s Satyricon) ficaram sabendo um da produção do outro em conversas separadas com o diretor-geral do Festival de Teatro de Curitiba, Leandro Knopfholz. “Foi uma coincidência cósmica”, diverte-se Rodolfo.

O Festival juntou as duas – e mais Ato de Comunhão, de Gilberto Gawronski – na Mostra XXX, primeira exclusivamente de temática adulta do evento realizado há 21 anos.

Baseadas no mesmo clássico, Delírio e Satyro’s são muito diferentes entre si, disseram os diretores em entrevista coletiva nesta quinta-feira. Guardam, no entanto, o mesmo desejo de inquietar, provocar e retratar “o lado obscuro da sociedade”, como acentua Rodolfo. Ele e Bueno fazem questão de usar a arte para discutir e quebrar paradigmas. “O Brasil caminha para um conservadorismo perigoso”, diz Bueno.

O viés de rompimento de paradigmas cai bem para duas produções que tratam de relações homossexuais, orgias, malandragem e mostram boa dose de nudismo. O Satyros trouxe aquele ambiente da Roma antiga para a Praça Roosevelt, em São Paulo, e seu movimentado mercado de prostituição masculina.

Edson construiu um texto a partir de várias traduções de Petrônio (da mais “sem-vergonha” feita por Paulo Leminski a outras mais tradicionais) e produziu um espetáculo “solto e caótico”, com 34 atores em cena – pelados, em boa parte do tempo . “Quanto mais maluco, melhor”, diz o diretor. “A plateia tem de se sentir num turbilhão.” A montagem inclui ainda um ícone do teatro paranaense: Regina Vogue paira acima do espetáculo como a deusa Gaia.

Rodolfo divide seu espetáculo em três: Trincha, Satyricon e Suburra, partes que define como instalação e balada cênicas. Essa estrutura dá vazão ao que o diretor reputa como ponto fundamental na obra de Petrônio. “O fantástico dele é que o personagem não é um deus, é um trambiqueiro. Ele dá voz a quem não é nada”, diz ele. “Isso é maravilhoso”.

Serviço
Satyricon Delírio
Espaço Cênico. Dias 6, 7 e 8 de abril, às 22h30.

Satyro’s Satyricon
Espaço Cênico. Dias 29 (hoje), 30 e 31 de março, às 22h30

Fonte: Paraná Shopping, 29 de março de 2012

Ator, roteirista e cineasta. Co-fundador da Cia. Os Satyros e diretor executivo da SP Escola de Teatro.
Post criado 1068

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo