Cinco peças on-line para assistir no fim de semana

Monólogos, montagens com vários atores por videoconferência, dramas e até improvisação. Os espetáculos virtuais são para todos os gostos 

por Marcela Capobianco

Sucesso na quarentena, o teatro on-line surgiu da necessidade dos artistas terem uma plataforma para se expressar. A modalidade, no entanto, vem se mostrando frutífera. Alcançando espectadores em todo o mundo, peças brasileiras montadas na internet se mostram criativas, provocadoras e até rentáveis. Confira algumas opções de espetáculos virtuais para assistir neste fim de semana. Nem precisa sair de casa.

O Filho do Presidente. 

A primeira produção do Brasil a estrear na internet se despede da ‘ribalta virtual’ com sessões nesta sexta (7) e sábado (8). Estrelada por Ricardo Cabral e dirigida por Natasha Corbelino, a peça, que originalmente seria encenada em apartamentos, foi indicada ao Prêmio Arcanjo de Cultura. Na história, um homem pega o metrô para o lado errado, mata dois policiais e rouba um livro. Diante disso, ele precisa fugir. É interessante perceber como a câmera se torna parte integrante da montagem. Sexta, 21h. Sábado, 18h. Link da transmissão disponível no site e no Instagram – @teatrocaminho. Para os ingressos, a produção incentiva a colaboração consciente. 

H.A.R.O.L.D.O. 

Neste fim de semana também termina a temporada do espetáculo de improvisação idealizado por Fernando Caruso. Acrônimo para Habilidade de Associação Rápida com Objetos, Lugares e Diálogos Originais, a peça se inspirou no formato inglês de improviso Harold. Após apresentações lotadas no Teatro Tablado, H.A.R.O.L.D.O. foi adaptada para o meio virtual após o fechamento dos teatros na pandemia. O novo formato mescla jogos clássicos de improviso com exercícios originais, sempre pedindo a participação do público. Os atores são alunos formados por Caruso no curso de teatro de O Tablado e são dirigidos por Davi Salazar. A montagem da peça se dá de forma totalmente improvisada, e nenhuma sessão é igual a outra. Sábado (8), 19h. Grátis. Solicitar link do Zoom pelo perfil do Instagram –  @haroldoimpro. 

Desafio Hitchcock. 

A peça, transmitida em tempo real pelo Youtube, propõe que os espectadores sejam ‘imersos’ na tela. Cada ator, em sua casa, faz os planos com seus celulares e a impressão é de que os personagens estão no mesmo cenário. Edição, cortes, direção e trilha sonora são criados na hora, como num improviso de jazz. A peça é nspirada no argumento original do texto Rope, de Patrick Hamilton, que gerou o filme Festim Diabólico, de Alfred Hitchcock. A partir da premissa inicial do argumento, tudo foi transposto para a São Paulo dos dias de hoje, com influencers, gente descolada, e redes sociais. O texto é de Alexandre Pontara e a direção é de André Warwar. Sábados, 23h35. Ingressos: grátis ou R$ 18,45. Plataforma: Sympla. Até 29 de agosto. 

A Arte de Encarar o Medo. 

Na montagem do respeitado grupo Os Satyros, 14 atores encenam, cada um na sua casa, uma história que se passa num futuro distópico, no qual as pessoas tentam reconstruir histórias de uma vida anterior à pandemia. Em quarentena há 5 555 dias, isolados e angustiados, o grupo de pessoas se conecta pela internet. Esses amigos não entendem como ainda existe energia elétrica nem acesso à web, porque as emissoras de televisão e os jornais deixaram de existir e as cidades foram abandonadas. A depressão, a solidão, o medo do contágio, a angústia pela proximidade da morte e o desespero diante dos ataques diários contra a democracia brasileira perpassam as cenas. Sextas e sábados, 21h. O texto é de Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez. A direção é de García Vázquez. Domingos, 16h. Ingressos: de R$ 10 a R$ 250 (apoio ao espetáculo). Plataforma: Sympla. 

O Livro.

No domingo (9), o ator Eduardo Moscovis encena o espetáculo O Livro, dirigido por Christiane Jatahy. O texto de Newton Moreno conta a história de um homem que recebe um livro do pai, mas o presente é o anúncio de que ele ficará cego em breve, talvez em algumas horas, em alguns minutos… Ali. Nesta versão especial para o projeto #EmCasaComSesc, a peça propõe novos diálogos, com o texto original e com quem assiste, caminhando na fronteira da realidade e da ficção. Um monólogo para refletir sobre o momento em que vivemos, os cortes abruptos e as transformações inevitáveis. Grátis. Domingo, 21h30. Plataforma: canal do YouTube do Sesc SP. 

Fonte: Veja Rio

Ator, roteirista e cineasta. Co-fundador da Cia. Os Satyros e diretor executivo da SP Escola de Teatro.
Post criado 1069

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo