EU, PECADOR

Quando eu vivia em Lisboa, amava passear por suas ruelas nos finais de tarde, principalmente no verão. O pôr do sol da cidade é das coisas mais inacreditáveis que já vi. Aliás, Lisboa é afamada por sua luz, especialmente entre primavera e verão. Nestes passeios, descobri coisas inacreditáveis, conheci pessoas incríveis e vivi situações que […]

SOLUCEMOS

– O pai da Marília Gabriela também morreu de soluço. Foi assim que se iniciou uma das conversas mais surreais que já tive nos últimos tempos. Por motivos óbvios, resguardarei as identidades de nossas personagens. Os protagonistas são: A produtora de uma peça do dramaturgo recém falecido A atriz de boa alma Um dramaturgo recém […]

UM DIA A MENOS

Aconteceu há um tempo. Quase uma da tarde e estou no La Barca, esperando que a Isabel me sirva um cafezinho. O Mirisola se aproxima. Apesar de sua luminosidade – sim, ele andava com uma luz impressionante naqueles tempos, talvez revérbero do filho de Caos –  está abatido. É ele quem nos dá a notícia: […]

SANGRANDO

Aconteceu num domingo, há uns poucos meses. Eu e Cacilda, nossa vira-latas mais linda do mundo, estamos passeando pelo centro da cidade. Depois de uns giros pela feirinha da praça da República e pelas avenidas Ipiranga e São João, chegamos à nossa Roosevelt. Estou sentado na borda de uma floreira em frente ao Espaço dos […]

CÔMICO, SE NÃO FOSSE REAL

No aquecimento, os atores estão dispostos em círculo. O ritual diário é feito com dedicação. Um mestre comanda: – Respiração diafragmática. Isso, lentamente. Os atores – nove ao todo –, obedecem o comando e existe ali muito silêncio. – Agora a gente inspira em quatro tempos e expira em oito. O círculo é uníssono. Aquela […]

AS MINHAS CANÇÕES

Sempre gostei de música. Me lembro que, lá na minha pequenina Ribeirão Claro – onde também nasceu o compositor Carlos Paraná –, o coreto e o rádio eram a nossa única porta para o mundo. A televisão veio depois,  quando eu já tinha oito ou nove anos. No coreto, “Melodia Sentimental, do Villa-Lobos e Dora […]

TRISTEZA NUNCA MAIS

Aconteceu em 2005, quando estreamos “O Anjo do Pavilhão Cinco”. Após a apresentação, houve uma pequena recepção para os convidados. Uma noite especial, com pessoas especiais. Estavam lá, Aimar Labaki, Dráuzio Varela, Regina Braga, Paulinho Vilhena, Jorge Takla; além do Emílio Di Biasi, nosso diretor; do elenco da peça e do pessoal dos Satyros. Tinha […]

MEU AMIGO QUE QUERIA MORRER

Acordei hoje me lembrando de uma história. A história de um amigo português que vive em Lisboa e que um dia quis morrer. Aconteceu assim: ele estava apaixonado e vivendo um grande momento de sua vida quando, aos 40 anos, descobriu que tinha uma doença terminal. Viveria, no máximo, três ou quatro anos. Decidiu, então, […]

FELIZ ANIVERSÁRIO, DONA EUNICE

Meu pai, José Francisco, era pedreiro e analfabeto. Minha mãe, Eunice, era costureira e frequentou até a quarta série do primário. Eles têm uma história teatral. Ambos paranaenses, se encontraram em Wenceslau Brás, cidade natal de minha mãe. Ela, evangélica, que vivia na zona rural, estava na cidade, na casa de uma irmã mais velha […]

A SÃO PAULO QUE EU AMO

Nasci em Ribeirão Claro, interior do Paraná, e já morei em vários lugares. Fora do Brasil, inclusive. Mas São Paulo foi a cidade que escolhi. Hoje, não viveria em nenhum outro lugar. E desde sempre, vivo na região central da cidade. Sou morador da Augusta. Meu prédio é um dos primeiros da rua. Uma das […]

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo