2021 em retrospectiva

Por aqui, há tempo já, um ano são muitos em um só. Nossa, cada vez mais e mais trabalho. Mas, na mesma linha de raciocínio, em sua ponta, sempre encaramos a vida profissional como sinais de pura vida. Eu próprio, nos últimos muitos anos, tenho dito que trabalho e vida pessoal surgem do mesmo fluxo. Então tá tudo certo. Se trabalhamos muito em 2021, vivemos muito também. E isso, por si só, já é motivo de grandes comemorações. Estamos vivos e isso, nestes tempos, significa tanto!

Minha palavra continuará sendo gratidão. Tenho tanto a agradecer! No ano em que a psicanálise ganhou protagonismo na minha vida, abri muito espaço para a escuta, que foi a minha real ação política durante todos os dias deste inesquecível e imponderável ano.

Lançamos livros – dois ou três, talvez quatro, rs, vejam só! –; escrevemos e dirigimos um longa-metragem; ganhamos prêmios nos EUA e na Índia, e no Brasil também; salvamos vidas e plantamos árvores. Muitas! Também reabrimos o Espaço dos Satyros, depois de quase dois anos fechado, com uma peça linda, “Aurora”, que tenho muito, muito orgulho.

Mas 2021 será, pra sempre, o ano da resistência. Que sigamos saudáveis e resistentes para enfrentar o futuro. Que poderá ser lindo e cheio de vida. Porque merecemos! Obrigado por tudo, pessoal!

 

JANEIRO

— Lançamento do Selo Lúcias, com o livro “Teatro de Grupo na Cidade de São Paulo e na Grande São Paulo: Criações Coletivas, Sentidos e Manifestações em Processos de Lutas e de Travessias”, com organização de Alexandre Mate e Marcio Aquiles

—  Estreia do espetáculo digital “Novos normais: sobre sexo e outros desejos pandêmicos”

 

FEVEREIRO

— Lançamento do livro “1991 ou A imperfeição do amor”, pela Editora Giostri

— Estreia do espetáculo digital “As Mariposas”

— O espetáculodigital “A Arte de Encarar o Medo” recebe o Young-Howze Theater Awards, premiação teatral de Nova Jersey, nos Estados Unidos, categoria Collaborative Work of The Year

 

MARÇO

— O espetáculo “Todos os Sonhos do Mundo” é apresentada na plataforma #CubHouse

— Abertura da sala de trabalho do experimento digital “1991 ou A Imperfeição do Amor”

— Com o apoio de vizinhos e da subprefeitura de Parelheiros, captaneei o plantio de mais de 300 árvores pelo bairro

 

ABRIL

— Estreia do espetáculo digital “Uma Peça para Salvar o Mundo”

— Entre abril e junho, hospedei 13 cães resgatados na estradinha, ao lado da minha casa em Parelheiros. A partir daí, uma sucessão de atropelos e, ao lado de um grupo de vizinhos, fomos responsáveis pela castração de mais de uma centena de cães e gatos. Deu trabalho, mas foi lindo!

 

MAIO

— Estreia, em modo digital, de “Uma Canção de Amor”

— “Pink Star” estreia em modo digital

— “A Arte de Encarar o Medo (The Art of Facing Fear) recebe o Prêmio Arcanjo de Cultura, categoria Teatro

 

JUNHO

— “The Art of Facing Fear World United” é apresentado com atores de 25 países, de 5 diferentes continentes

— Estreia de “Toshanisha – The New Normals”, em co-produção com o grupo Bold Theatre Kenya

— Desde de 25 de junho, uma estrela localizada nas coordenadas RA 08h40m20.76 +22°45’12.1” dec 11.23 mag Cnc, foi batizada com o meu nome

 

JULHO

— Perdemos Roberto Francisco, aos 76 anos

— Filmagens do longa-metragem “The Art of Facing Fear”

— “The Art of Facing Fear” é indicado ao Prêmio APCA, categoria Avanço Digital

 

AGOSTO

— Filmagens de “The Art of Facing Fear”

Os espetáculos “Pink Star”, “Uma Canção de Amor” e “Toshanisha – The New Normals” são apresentados no Hollywood Fringe Festival

—  “Pessoas Perfeitas” estreia em modo digital

—  “A Arte de Encarar o Medo” é indicada ao 15ª do Prêmio APTR, nas categorias Espetáculos Inéditos ao Vivo e Jovem Talento, para Nina Denobile Rodrigues

 

SETEMBRO

— Realização do Festival SatyriCine Bijou, com a participação de 83 filmes

— Estreia do espetáculo digital “Cabaret Dada”

— A performer Eleonora Fabião realiza ação que une a SP Escola de Teatro e outras instituições públicas na 34º Bienal de São Paulo

Os espetáculos “Uma Canção de Amor”  e “Toshanisha – The New Normals” recebem o “Official Winner Of The Hollywood Encore Producers’ Award”, do festival anual Hollywood Fringe Festival

 

OUTUBRO

—  “As Mariposas” recebe três prêmios no The Red Curtain, Good The@tre Festival 2021, Índia: Best Production, Best Production Design – Adriana Vaz e Thiago Capella e Best ensemble (Diego Ribeiro, Eduardo Chagas, Fábio Penna, Gustavo Ferreira, Henrique Mello, Ivam Cabral, Ju Alonso, Julia Bobrow, Marcia Dailyn, Mariana França, Nicole Puzzi, Sabrina Denobille e Silvio Eduardo)

 

NOVEMBRO

— Estreia de “Aurora”, em modo físico. Os Satyros estão vivos!

— Lançamento do livro “Aurora”, pela Editora Giostri

— Lançamento do livro “Arte inclusiva – Quem inclui quem?”, editado pelo Centro de Estudos Arnaldo Araújo

— Realização da 22ª edição do Festival Satyrianas: 20 mil espectadores em edição híbrida: física e digital

 

DEZEMBRO

— Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez são indicados ao 11º Prêmio Governo do Estado de São Paulo

— “Aurora” recebe o Prêmio Arcanjo de Cultura, categoria Teatro. Nesta mesma edição, Diego Ribeiro é eleito o Melhor Intérprete por sua atuação em “Pink Star”

— Ao lado de Julia Bobrow, Eduardo Chagas, Marcia Daylin, Diego Ribeiro e Gustavo Ferreira, participei como baking vocal do novo disco da cantora Vanessa Bumagny

Ator, roteirista e cineasta. Co-fundador da Cia. Os Satyros e diretor executivo da SP Escola de Teatro.
Post criado 1725

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo