Beatriz Segall esteve no início das discussões da SP Escola de Teatro e vai fazer muita falta

Morreu nesta quarta-feira (9), aos 92 anos, a atriz Beatriz Segall. Uma das mais emblemáticas artistas da dramaturgia brasileira, ela marcou a história do país com personagens inesquecíveis, como a vilã Odete Roitman, na novela “Vale Tudo”.

Beatriz começou a carreira profissional no Teatro Popular de Arte, ao lado de Jardel Filho. Ao longo da trajetória, passou pelo Teatro Oficina, sendo dirigida José Celso Martinez, e atuou em espetáculos como “Marta Saré”, texto de Gianfrancesco Guarnieri, e “O Inimigo do Povo”, de Henrik Ibsen. Além disso, foi dirigida por nomes como Gabriel Villela, Fernando Peixoto e Marcos Caruso.

Beatriz Segall também fez parte das primeiras reflexões em torno da criação da SP Escola de Teatro. “Ela foi muito importante na construção do processo pedagógico”, afirma o diretor executivo da Instituição, Ivam Cabral. “Beatriz era muito amiga de Alberto Guzik (um dos fundadores da Escola, ele morreu em 2010), e quando pensávamos o modelo de pedagogia, ela se reuniu várias vezes conosco. Dizia, inclusive, que queria se dedicar à pedagogia. Só não conseguiu dar aulas na Escola porque não encontrava tempo na agenda. E foi uma história que durou até recentemente – às vezes ela me ligava para saber como estava a escola.”

Fonte: SP Escola de Teatro
Ator, roteirista e cineasta. Co-fundador da Cia. Os Satyros e diretor executivo da SP Escola de Teatro.
Post criado 1641

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo