Apanhadão da semana: governo de Santa Catarina retira livros de escolas públicas

O supervisor de Educação de Santa Catarina, Waldemar Ronssem Júnior, assinou um ofício que determinava a retirada de 9 obras das escolas públicas

Ao longo da semana, diversos veículos repercutiram a decisão da Secretaria de Educação de Santa Catarina de retirar livros das bibliotecas das escolas públicas de Florianópolis. A ordem aconteceu na última quarta-feira (08), e os livros foram armazenados em locais “não acessíveis à comunidade escolar”, mas o governo não deu grandes detalhes sobre o destino dos livros nem sobre as justificativas para a ordem.

O comunicado da retirada foi enviado às bibliotecas por meio de um ofício assinado pelo supervisor de Educação, Waldemar Ronssem Júnior, e pela integradora Regional de Educação, Anelise dos Santos de Medeiros. O vereador suplente Leonel Camasão (PSOL-SC) criticou a medida e realizou uma denúncia ao Ministério Público do estado.

A lista é composta por nove livros de gêneros diversos, confira:

A química entre nós (BestSeller) Coração satânico (Darkside)
Donnie Darko (Darkside)
Ed e Lorraine Warren: demonologistas – arquivos sobrenaturais (Darkside) Exorcismo (Darkside)
It: A coisa (Suma)
Laranja Mecânica (Aleph)
Os 13 porquês (Ática)
O diário do diabo: os segredos de Alfred Rosenberg, o maior intelectual do Nazismo (Record)
Na Folha de S. Paulo, o colunista Arthur Grohs fala sobre o desafio de ler Camus, e seu entendimento do “vazio da condição humana”. O autor completaria 110 anos em 2023. Na Ilustrada, uma lista com seis autoras para ler e entender sobre o feminismo negro.

 

O Estado de S. Paulo noticiou o bloqueio de R$ 3,8 bilhões no Orçamento. Além de recursos hospitais e o auxílio gás, medida impacta a compra de livros didáticos na educação básica. No Globo, a notícia que Jean-Baptiste Andrea foi o vencedor do prêmio Goncourt com romance Veiller Sur elle, publicado em uma editora independente. A obra detalha o contexto italiano em meio à ascensão do fascismo.

 

O portal Terra falou mais sobre a coletânea de contos e poemas Coisas frágeis (Intrínseca), lançamento de Neil Gaiman, e listou obras essenciais para os fãs do escritor. O site também falou sobre o livro Amazônia 2030 – Bases para o desenvolvimento sustentável, que será lançado nesta sexta-feira (10), em debate feito em parceria com o Estado de S. Paulo. É possível conferir a transmissão do evento pelo link.

 

A SP Escola de Teatro anunciou o lançamento do livro Eternizar em escrita preta, uma coletânea de dramaturgias de novos escritores negros do cenário brasileiro. O lançamento faz parte dos eventos da instituição em meio ao Mês da Consciência Negra. O evento será no dia 22 de novembro, às 19h, com a leitura de três dramaturgias inéditas.

 

A recém indicada ao Jabuti, Ana Suy, participou da Feira do Livro de Porto Alegre nesta quinta-feira (09) e falou sobre psicanálise, ciência e amor. Ela é autora de A gente mira no amor e acerta na solidão (Paidós).

 

A Casa Vogue falou um pouco mais sobre o livro Fim (Companhia das Letras), lançado em 2013, que originou a série do Globoplay.

 

Fonte: Publish News

Post criado 415

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo