ANÁLISE | No Palco Paulistano, o crítico José Cetra faz um balanço teatral do primeiro semestre de 2021

O que rolou na telinha de nossos computadores.

No primeiro semestre deste ano eu sentei 95 vezes diante do notebook para assistir a um espetáculo teatral virtual. Se permanecer nesse ritmo no segundo semestre ficarei na marca de mais de 200 títulos anuais, quantidade que venho mantendo já há algum tempo. Espero vivamente incluir na lista anual espetáculos assistidos ao vivo nos palcos, materializando a palavra TEATRO em todo o seu esplendor.

Não é preciso se estender, porque muito já se escreveu, mas é bom reforçar que houve significativo progresso técnico [som, imagem e dinâmica da(s) câmera(s)] nos espetáculos virtuais de 2020 para 2021.

Artisticamente o semestre foi também bastante animador. É de conhecimento de todos que escrevo matérias em meu blog apenas sobre aqueles trabalhos que julgo importantes e dos quais tive boa impressão e me surpreenderam (nunca é demais lembrar, e por isso enfatizo, que esse julgamento é puramente pessoal). E nesse aspecto concluo que artisticamente o semestre foi bastante animador. Dos 95 espetáculos assistidos destaco 39 (quase a metade!!!) que julgo bastante significativos no que se refere a dramaturgia, direção, ator, atriz e espetáculo, além de projetos que classifiquei como eventos. Segue a lista por categoria e em ordem alfabética:

DRAMATURGIA:

– 27’s – Daniela Pereira de Carvalho

– A Árvore – Silvia Gomez

– A Genealogia Celeste de Uma Dança – Juliana Leite

– De Bar em Bar – Rogério Corrêa

– Dora – Sara Antunes

– Entre Homens – Rogério Corrêa

– Monstro – Ricardo Corrêa

– Uma Peça Para Salvar o Mundo – Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez

– Vinte e Três de Setembro – Diego Fortes

DIREÇÃO:

– André Garolli – Sede

– Bim de Verdier – Terra Medeia

– Bruno Kott – A Genealogia Celeste de Uma Dança

– Cesar Augusto – Entre Homens

– Cristina Cavalcanti – Amanhã Eu Vou

– Davi Reis – Monstro

– Ester Laccava e João Wainer – A Árvore

– Fernando Kinas – Os Grandes Vulcões

– Gabriel Fernandes e Bete Coelho – Medeia

– Kiko Rieser – Quando as Máquinas Param

– Lenise Pinheiro – Viva Cacilda!

– Marcio Meirelles – Do Outro Lado do Mar

– Ricardo Grasson – Diplomacia

– Roberta Estrela D’Alva e Dani Nega (direção musical) – Desfazenda – Me Enterrem Fora Desse Lugar

– Rodolfo García Vázquez – The Art of Facing Fear

– Vera Holtz, Gustavo e Guilherme Leme – 27’s

– Yara de Novaes e Clarissa Campolina – Farol de Neblina

ATOR:

– Ailton Barros – Desfazenda

– Claudio Mendes – Lições Dramáticas por João Caetano

– Edu Coutinho – Do Outro Lado do Mar

– Eduardo Semerjian – Diplomacia

– Filipe Celestino – Desfazenda

– Gustavo Rodrigues – 27’s

– Isaac Bernat – Entre Homens

– Jhonny Salaberg – Desfazenda

– Leonardo Miggiorin – Não Se Mate

– Luciano Chirolli – A Genealogia Celeste de Uma Dança

– Marco Bravo – Vinte e Três de Setembro

– Otávio Martins – Diplomacia

– Rainer Cadete – Diário de Um Louco

– Ricardo Corrêa – Monstro

– Thiago Mendonça – Uma Peça Para Salvar o Mundo

– Valdir Rivaben – Anna

ATRIZ:

– Andrea Elia – Do Outro Lado do Mar

– Angela Rebello – De Bar em Bar

– Bete Coelho – Medeia

– Carolina Virgüez – Vozes do Silêncio

– Denise Fraga – Dez Por Dez

– EsterJablonski – Cuidado Com As Velhinhas Carentes e Solitárias

– Isabella Lemos – Viva Cacilda!

– Letícia Isnard – De Bar em Bar

– Liane Venturella – Palácio do Fim/Derrota

– Lilian Blanc – Amanhã Eu Vou

– Mariana Muniz – A Encomenda/Sônia, Um Ato Por Tolstói/Sete Histórias

– Marina Esteves – Desfazenda

– Marina Nogaeva Tenório – A Dócil

– Nicole Cordery – Terra Medeia

– Sara Antunes – Dora

– Selma Luchesi – Anna

– Tertulina Alves – Sertão Sem Fim

– Tuna Dwek – Amanhã Eu Vou

ESPETÁCULO:

– 27’s

– A Genealogia Celeste de Uma Dança

– De Bar em Bar

– Desfazenda – Me Enterrem Fora Desse Lugar

– Diplomacia

– Do Outro Lado do Mar

– Entre Homens

– Sede

– Terra Medeia

– Uma Peça Para Salvar o Mundo

EVENTOS:

– Abismos de Dostoiévski – Idealização: Marlene Salgado e Elena Vássina

– Liberdade, Liberdade (Revisitada) – Projeto e Realização: Centro Cultural São Paulo

– O Híbrido – Robson Catalunha

– Primeiro Festival da Tragédia Brasileira – Cia. Repertório Rodriguiana – Direção: Marco Antônio Braz

O teatro virtual permitiu acesso a espetáculos de outros estados que dificilmente chegariam nos palcos paulistanos. Os 39 trabalhos elencados estão assim distribuídos: 29 (São Paulo), 7 (Rio de Janeiro), 2 (Rio Grande do Sul), 1 (Minas Gerais), 1 (Bahia).

Grandes revelações de outros estados: Atrizes (Liane Venturella, Ester Jablonski e Andrea Elia) / Atores (Edu Coutinho e Claudio Mendes) / Dramaturgia (Rogério Corrêa).

Apesar de todas as limitações, o teatro virtual cumpriu galhardamente suas funções neste primeiro semestre garantindo trabalho e remuneração para parte dos profissionais da área e oferecendo espetáculos de qualidade para o espectador confinado em sua residência.

Não compareci a nenhum espetáculo apresentado nos teatros. Segundo o Guia OFF e minhas anotações os seguintes espetáculos de teatro adulto foram realizados nos palcos da cidade no primeiro semestre de 2021: A Bicicleta de Papel/Para Duas/Rainha Ester/Sabe Quem Dançou? /Sertão Sem Fim/ Eu Me Lembro/ Aviso Prévio/ Naquela Noite Eu Olhei Pela Janela e Vi a Lua Morrer/ A.M.O.R. de U.T.I./ A Noite do Choro Pequeno/O Último Concerto Para Vivaldi. O espetáculo Bonita Lampião estava programado para o Teatro Sérgio Cardoso, mas teve de ser cancelado em virtude do recrudescimento da pandemia em fevereiro/março.

Fonte: Palco Paulistano

Ator, roteirista e cineasta. Co-fundador da Cia. Os Satyros e diretor executivo da SP Escola de Teatro.
Post criado 1550

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo