Adaap, gestora da SP Escola de Teatro, ganha Prêmio Especial da APCA pelo livro Teatro de Grupo

Marcio Aquiles, Elen Londero e Ivam Cabral. Foto: Comunicaçao Adaap

Aconteceu na noite da última segunda-feira, 21, a entrega do Prêmio APCA (Associação Paulista de Críticos de Artes), um dos mais importantes eventos e condecorações do meio cultural brasileiro. A Adaap (Associação dos Artistas Amigos da Praça), gestora da SP Escola de Teatro, conquistou um dos principais prêmios, na categoria Teatro Especial, pelo livro Teatro de Grupo na Cidade de São Paulo e na Grande São Paulo, organizado por Alexandre Mate, Elen Londero, Ivam Cabral, Joaquim Gama e Marcio Aquiles. O projeto é o primeiro do Selo Lucias, criado na associação em homenagem à Lucia Camargo.

Equipe da Adaap no palco do Teatro Sérgio Cardoso. Foto: Luiza Camargo

Ivam Cabral, diretor executivo da instituição, e Elen Londero e Marcio Aquiles, coordenadores na diretoria, foram receber a conquista no palco do Teatro Sérgio Cardoso, em São Paulo, onde aconteceu a celebração.

“Gostaríamos de agradecer ao júri da APCA e principalmente a Adaap, gestora da SP Escola de Teatro, representada pelo Ivam (Cabral). Criar esse livro durante a pandemia foi um trabalho coletivo, foram 194 grupos de teatro que toparam entrar nessa escrita coletiva que é uma obra disponível online e gratuita. Precisamos agradecer a você Ivam e ao Alexandre Mate por idealizarem esse projeto e deixarem a gente sonhar com ele. Agradecemos também os coletivos que estiveram com a gente”, afirmou a coordenadora em seu discurso. Ela também acrescentou a importância da criação do Selo Lucias, braço editorial da instituição, nomeado em homenagem à Lucia Camargo.

Lucia Camargo era gestora cultural, professora, jornalista, crítica e coordenou o setor de Extensão Cultural e Projetos Especiais na SP Escola de Teatro. Ela também foi diretora de importantes instituições culturais brasileiras, como Teatro Guaíra, em Curitiba, onde foi ainda secretária municipal e estadual de Cultura do Paraná; e o Palácio das Artes, em Belo Horizonte. Além disso, foi ainda secretária-adjunta de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e a primeira e única mulher na história a dirigir o Theatro Municipal de São Paulo.

Marcio Aquiles, Elen Londero e Ivam Cabral com o Prêmio Apca 2021

“Junto com o livro nasce o selo Lucias, um selo editorial da SP Escola de Teatro, uma homenagem à nossa queridíssima Lucia Camargo, que foi uma mulher importantíssima para a cultura a nível nacional, não só na cidade de são Paulo. Nosso abraço, seja onde for, à Lucia Camargo”, finalizou Elen.

Em seu agradecimento, Ivam homenageou o Conselho da Adaap, formado por importantes nomes das artes e gestão cultural, fundamentais nas conquistas da instituição.

“Eu gostaria de agradecer aos nossos conselheiros, membros do conselho de administração e fiscal. Maria Bonomi, Angela Coelho da Fonseca, Danilo Santos de Miranda, Eduardo Saron, Eunice Purdente, Hubert Alquéres, Joaquim Gama, Vicente de Freitas, Wagner Brunini, Leandro Knopfholz, Maurício Antonio Ribeiro Lopes, Rachel Rocha e Patricia Pillar”.

Ivam Cabral na entrega do Prêmio Apca 2021

Marcaram presença no evento também Luiza Camargo, analista de comunicação da SP, Miguel Arcanjo Prado, coordenador de Extensão Cultural e Projetos Especiais da instituição, e Rodrigo Barros e David Godoi, assistentes de Extensão Cultural e Projetos Especiais.

Reconhecimento

A publicação Teatro de Grupo na Cidade de São Paulo e na Grande São Paulo: Criações Coletivas, Sentidos e Manifestações em Processos de Lutas e de Travessias faz um registro histórico com textos de 194 coletivos da metrópole paulistana e versa sobre seus repertórios, processos criativos, métodos de trabalho, parcerias mais comuns e a função do teatro.

Marcio Aquiles, Elen Londero e Ivam Cabral no Prêmio Apca 2021

“Estamos muito felizes com esse reconhecimento da APCA, uma grande equipe da ADAAP se mobilizou neste trabalho. Em resumo, é um livro que traz três aspectos muito importantes: transformou-se em referência e fonte documental; materializou e consolidou a história e produção de dezenas de novos coletivos, de todas as regiões da Grande São Paulo; e, não menos importante, descreve os processos criativos de uma ampla gama das companhias da metrópole, das experimentais às mais consagradas. Já sabemos de acadêmicos de Cabo Verde, Cuba, Portugal, Finlândia e Suécia que estão usando a edição em suas pesquisas acadêmicas”, afirmou Ivam.

Além de artigos sobre as 194 companhias, o projeto conta com análises sobre o fenômeno do teatro de grupo escritas por 16 especialistas, dentre os quais historiadores, pesquisadores, críticos de teatro e artistas.

No momento, a mesma equipe trabalha no segundo livro da série, agora com foco no Estado de São Paulo, cujo título provisório é “Teatro de Grupo em Tempos de Barbárie: Antes, Durante e Depois… Evoaremos!”.

Marcio Aquiles, Ivam Cabral, Elen Londero, Miguel Arcanjo, Luiza Camargo, Rodrigo Barros e David Godoi, todos colaboradores da SP Escola de Teatro

 

Fonte: SP Escola de Teatro

Post criado 92

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo