‎‎‎‎2012 EM REVISTA

Para mim, 2012 foi um ano atribulado, sempre com muito trabalho. Horas intermináveis na direção da SP Escola e trabalhos como ator – e não só! – no Satyros, também.

Na SP Escola de Teatro, surpreendentemente, chegamos ao processo seletivo mais concorrido da América Latina. Só no curso de Atuação, por exemplo, mais de 900 candidatos concorreram a 9 vagas oferecidas.

No Satyros, estreei peça nova, “Inferno na Paisagem Belga”; além de passar o ano todo em cena com “Cabaret Stravaganza” e “Vestido de Noiva”. Ainda tivemos a estreia do projeto “Satyros’ Satyricon”, que estreou em Curitiba e passou o ano todo em cartaz no Satyros Dois, em São Paulo.

Neste ano, fiz cinema também. Filmei os longas “Hipóteses para o Amor e a Verdade” e “Satyrianas: 78 Horas em 78 Minutos”. Recebi – mas recusei, infelizmente – até convite pra fazer novela no Rio de Janeiro.

Viajei bastante, também. Comecei o ano no Egito e Oriente Médio; estive em Cuba; na Rússia e Escandinávia; fui pra Argentina e, quase na reta final, visitei a Espanha e Portugal.

Ironias à parte, 2012 ficará pra sempre como um dos anos mais tristes da minha vida. No início do ano, perdi a visão do olho direito e, até que surgisse em meu caminho o Dráuzio Varela, eu estive condenado. Foram meses de apreensão. Mas o queridíssimo e sempre atencioso Dráuzio me trouxe luz e, no final da história, pude experimentar a delícia de estar vivo.

Pra ratificar a vida, apareceu no meu caminho a Antonia, uma gata linda da raça Maine Coon, branquinha e de olhos verde-amarelados.

2012 foi, ainda, um ano de reconhecimento. Fui indicado a prêmio, vi um texto meu ser apresentado em Cuba, e, ainda, organizamos a maior Satyrianas de sempre.

Também pudemos ver a Praça Roosevelt, enfim, reformada; e inauguramos a sede Roosevelt da SP Escola de Teatro.

Na reta final, depois de um processo longo e concorrido, fui aprovado para o Doutorado, na ECA/USP.  Sim, viver é bom demais e eu sou um cara feliz!

:: :: JANEIRO

Faluca, Rio Nilo, Egito

– Viagem pelo Egito, Israel e Palestina.
– Reestreia de “Cabaret Stravaganza”, que é indicado ao Prêmio Shell na categoria Melhor Iluminação.
– Verão chuvoso em Parelheiros.
– Morre Fernando Peixoto.

:: :: FEVEREIRO

Brinco de princesa, piscina e jardim, Parelheiros

– Inauguração da sede Roosevelt da SP Escola de Teatro.
– Passo todo o meu tempo livre em Parelheiros.

:: :: MARÇO

– O filme “Vila Verde”, de Evaldo Mocarzel, a partir de uma intervenção do Satyros no bairro curitibano Vila Verde, estreia no Festival de Curitiba.
– “Cabaret Stravaganza” recebe o Prêmio Shell de melhor Iluminação.
– Com Laerte Coutinho, estreia no Satyros o “Projeto Expressões de Gênero”, um ciclo de conversas sobre gênero e sexualidade.
– “Satyros’ Satyricon” estreia no Festival de Curitiba.

:: :: ABRIL

– Durante a Virada Cultural, e em colaboração com o Catraca Livre, o Satyros realiza o evento “Minha Grande Virada”, com Gilberto Dimenstein, Tiago Abravanel, Reynaldo Gianecchini, Marcelo Médici e Adriane Galisteu.
– Morre Christiane Riera.

:: :: MAIO

Habana Vieja, Habana, Cuba

– Viagem a Cuba.
– Em Havana, assisto à leitura de meu texto “Faz de Conta que Tem Sol Lá Fora”, em espanhol “Hazte Idea de Que Hay Sol Allá Afuera”, com tradução de Olga Sánchez Guevara e direção de Sahily Moreda.

:: :: JUNHO

Antonia, da raça Maine Coon

– Chega para dividir apartamento comigo, Antonia, uma Maine Coon branquinha e de olhos verde-amarelados.

:: :: JULHO

Catedral de São Basílio, Praça Vermelha, Moscou

– Sou indicado ao Prêmio Cidadão Sustentável, do Catraca Livre, na categoria Cultura, que tem como proposta reconhecer e valorizar as pessoas que estão ajudando a mudar São Paulo”.
– Viagem à Rússia, Finlândia e Suécia, com parte da minha família.
– Lançamento da segunda edição de A[L]BERTO, a Revista da SP Escola de Teatro.

:: :: AGOSTO

Cartaz de "Vestido de Noiva"

– “Vestido de Noiva” é apresentada no Teatro Dulcina, no Rio de Janeiro e, sem seguida, faz temporada no Teatro Cacilda Becker, em São Paulo.
– Filmagem do longa “Hipóteses para o Amor e a Verdade”, da Satyros Cinema.

:: :: SETEMBRO

Fachada de casarão no bairro La Boca, Buenos Aires

– Viagem a Buenos Aires.
– Estreia do espetáculo infantil “Criança Cidadã”, da Satyros Educação.
– O grupo Trupe Camaleão, de Tatuí, estreia meu texto “Faz de Conta que Tem Sol lá Fora”.
– Com o título “Un Espejo Paulista para la Iniciativa Porteña”, o jornal La Nacion de Buenos Aires destaca o trabalho do Satyros no processo de revitalização do centro da cidade de São Paulo.

:: :: OUTUBRO

Vista da Praça Roosevelt, São Paulo

– Inauguração da nova Praça Roosevelt.
– O filme “Satyrianas, 78 horas em 78 minutos”, de Daniel Gaggini, Fausto Noro e Otávio Pacheco, estreia no Festival do Rio e recebe o Prêmio Especial do Júri, do Jornal O Globo; em seguida, se apresenta na Mostra Internacional de Cinema em São Paulo e é indicado ao Prêmio Itamaraty como um dos melhores filmes do evento.
– Meu texto, “Uma Arquitetura para a Morte”, estreia em Jundiaí, pelo Grupo Eós.
– No aniversário de 15 anos da Revista Bravo!, 8 personalidades da cultura nacional são convidadas para falar sobre a publicação; eu sou uma delas.

:: :: NOVEMBRO

Instalação performática, Satyrianas

– Nossa maratona cultural “Satyrianas, uma Saudação à Primavera” é realizada na nova Praça Roosevelt e se caracteriza como a maior edição de sempre: público superior a 40 mil pessoas, em mais de 300 eventos e milhares de apresentações.
– Estreia de “Inferno na Paisagem Belga”.
– Um convite tão insólito quanto impossível: sou convidado para fazer uma novela no Rio de Janeiro.
– Morre Alcione Araújo.
– Anuncio no Twitter que a relação dos Satyros com a Roosevelt está chegando ao fim.
– Viagem à Espanha.
– Participo do “III Encontro Internacional de Políticas de Intercambio no Ámbito das Artes Escénicas”, em Santiago de Compostela, promovido pela Cena Lusófona e Centro Dramático Galego.

:: :: DEZEMBRO

Catedral de Santiago, Santiago de Compostela, Galícia

– Viagem à Espanha e Portugal.
– Participo de uma mesa de discussão ao lado de Eugenio Barba, Carlos Simioni e Valmir Santos.
– Lançamento do número três da revista A[L]BERTO.
– O autor cubano Reinaldo Montero escreve o texto dramático “Epifania”, especialmente para mim.
– Depois de um processo longo e concorrido, sou aprovado para o Doutorado da ECA/USP.

Ator, roteirista e cineasta. Co-fundador da Cia. Os Satyros e diretor executivo da SP Escola de Teatro.
Post criado 769

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo