Quatro continentes, dez países e três diferentes montagens de um mesmo texto

O espetáculo A ARTE DE ENCARAR O MEDO, da cia Os Satyros, ganha duas versões internacionais – afro-europeia e norte-americana -, e as três serão apresentadas em sequência, em evento único com transmissão ao vivo.

 

26 de setembro, sábado

16h (elenco Africa/Europa) 18:30h (elenco Brasil) e 21h (elenco EUA)

[horário de Brasília]

 

A direção das três montagens é de Rodolfo García Vázquez, diretor de Os Satyros, que realizou todo o trabalho remotamente. Ao final de cada uma das apresentações, os atores das três montagens se juntarão ao público no bate papo final, para responder às perguntas e trocar experiências.

 

THE ART OF FACING FEAR/

A ARTE DE ENCARAR O MEDO

 

10 PAÍSES, 4 CONTINENTES, 3 VERSÕES EM

APRESENTAÇÃO TRIPLA E ÚNICA

 

Os Satyros(Brasil), Company of Angels(EUA), Rob Lecrone(EUA), Darling Desperados(Suécia), Cie Kaddu (Senegal),Crown Troupe of Africa (Nigéria), Oddmanout Theatre Company(Inglaterra), Centro Cultural Portugues do Mindelo(Cabo Verde), Tell-a-Tale(Nigéria), The Kwasha! Theatre Company(África do Sul), The Market Theatre Laboratory(África do Sul), Village Gossip Productions(África do Sul), Combined Artform(EUA).

 

No dia 26 de setembro, sábado, três produçõesda peça A Arte de Encarar o Medobrasileira, afro-europeia e norte-americana– se unem para apresentações ao vivoem horários sequenciados:às 16h a versão afro-europeia; às 18:30h a versão brasileira; e às 21h a norte-americana (horários de Brasília). O evento é uma oportunidade rara de ver, em tempo real, como diferentes culturas imprimem suas próprias experiências e particularidades ao contar uma mesma história. Todas as versões tem direção de Rodolfo García Vázquez, diretor da cia Os Satyros.

 

Ao final de cada uma das apresentações, os atores das três montagens se juntarão ao público no bate papo final, para responder às perguntas e trocar experiências. O evento consagra o alcance e a repercussão desta produção pelo mundo, expandindo as possibilidades do teatro digital e o intercâmbio entre artistas de diferentes culturas.

 

Desde a sua estreia, em junho, a versão brasileira de A Arte de Encarar o Medovem sendo vista por plateias de todo o Brasil e de outros países. Não demorou para que começassem os ensaios da versão afro-europeia (Senegal, Nigéria, Cabo Verde e África do Sul, Inglaterra, Suíça, Brasil), com atores de três continentes, e na sequência nasceu a versão estadunidense, lançada no início de setembro. A cada nova produção, a peça cresceu para abrigar novos artistas e audiências.

 

O que começou como uma produção brasileira, logo se tornou um movimento que já reune10 países de 4 continentes. Novos performerse plateias de todo o mundo seguem se unindo no enfrentamento dos medos e na investigação da situação atual do planeta. Cada versão da A Arte de Encarar o Medo aproxima seu roteiro à realidade do país em que é encenada.

 

A versão afro-europeia, depois de encerrar sua temporada em agosto, retorna para se juntar às versões brasileira e estadunidense, ainda em cartaz, neste evento único dia do dia 26 de setembro.

HORÁRIOS E INGRESSOS:

 

Encenação Afro-europeia – 16h, horário de Brasília

Ingressos:https://www.universe.com/users/darling-desperados-XLCBPZ

Programa:https://bit.ly/program-theartoffacingfear

 

Encenação Brasileira – 16:30h, horário de Brasília

Ingressos:https://www.universe.com/users/darling-desperados-XLCBPZ

(em cartaz àssextas-feiras e sábados às 21h, e domingo às 16h, até dezembro)

 

Encenação Estadunidense- 21h, horário de Brasília

Ingressos:https://www.companyofangels.org/aoff

Programa:http://bit.ly/program-theartoffacingfear-us

(em cartaz aos sábados às 21h e domingos às 19h, até 27de setembro)

 

SOBRE A PEÇA

 

Em um futuro distópico, pessoas tentam reconstruir histórias de uma vida anterior à pandemia. Em quarentena há 5.555 dias, isolados e angustiados, criaram um grupo na internet para se conectar. Esses amigos não entendem como ainda existe energia elétrica nem acesso à web, porque as emissoras de televisão e os jornais deixaram de existir e as cidades foram abandonadas.

 

A depressão, a solidão e o medo do contágio perpassam as cenas do espetáculo, assim como o encorajamento do autoritarismo e da intolerância que ameaçam vidas, liberdades e identidades pelo mundo. Mas a peça não perde de vista a esperança.

A Arte de Encarar o Medotem roteiro de Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez, fundadores da companhia de teatro Os Satyros, de São Paulo. A direção das três versões do espetáculo é de Rodolfo García Vázquez.

 

Ator, roteirista e cineasta. Co-fundador da Cia. Os Satyros e diretor executivo da SP Escola de Teatro.
Post criado 1191

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo