NA MÍDIA: SOMENTE PARA MAIORES

Universo da prostituição masculina em São Paulo e o caos da metrópole são temas da peça que inaugura a Mostra XXX (foto: André Stéfano)

Projeto da companhia Os Satyros moderniza o romance romano Satyricon e inaugura a primeira mostra de temática adulta do evento

Três ações performáticas dentro do projeto Satyros’ Satyricon prometem surpreender o público na noite de hoje, a partir das 21h30, no Espaço Cênico. Após nove meses de criação, a companhia Os Satyros estreia nacionalmente o espetáculo no Festival de Curitiba e dá início à inédita Mostra XXX, a primeira com temática exclusivamente adulta no evento.

Inspirada em fragmentos da novela romana Satyricon, de Petrônio, escrita em 60 d.C., a “não peça”, como descreveu o diretor Rodolfo García Vazquez em entrevista à Gazeta do Povo, mostra a prostituição masculina na noite de São Paulo, além do caos de uma metrópole. Com dois triângulos amorosos homossexuais, os personagens principais têm seus corpos tratados como mercadorias em um texto que transborda o erotismo.

Projeto triplo

Adaptado pelo jornalista e cineasta carioca Evaldo Mocarzel, o projeto Satyros’ Satyricon traz três momentos distintos, mas que podem ser vistos separadamente: “Trincha”, “Satyricon” e “Suburra”. Explicar o que acontece em cada parte é um desafio, “por isso o público precisa comparecer e acompanhar as três fases”, diz Vazquez.

A primeira, “Trincha”, que começa às 21h30 e tem duração de 40 minutos, é uma instalação cênica em que cada pessoa da plateia realiza uma visita sem guias por uma Roma contemporânea. Um “tour” por um universo de imagens e ações simultâneas diferentes que traduzem o caos do novo milênio.

Segundo Vazquez, “prostitutas plastificadas, um faquir em caixas de cerveja e índios com tutoriais de como tocar instrumentos” estão presentes na instalação. “É um passeio em uma viela de um grande bazar em Istambul”.

Logo após, vem o segundo ato, “Satyricon”. Em pouco mais de uma hora, relatos de garotos de programa do submundo paulista são apresentados em um formato “tradicional” das peças teatrais. E é aqui o momento em que o texto promete ter o ponto de destaque na montagem.

O último ato tem início às 23h59. “Suburra”, uma “festa performance” chama a plateia para uma interação com os atores em que o objetivo é a diversão, porém, com duração exata: apenas 60 minutos. Para os mais animados, esticar a noitada é a sugestão.

Serviço: Satyros’ Satyricon Espaço Cênico (R. Paulo Graeser Sobrinho, 305), (41) 3338-0450. Hoje, amanhã e sábado, a partir das 21h30

Fonte: Gazeta do Povo, 29 de março de 2012

Ator, roteirista e cineasta. Co-fundador da Cia. Os Satyros e diretor executivo da SP Escola de Teatro.
Post criado 809

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo