I: JANE MARY E O MUNDO PELA FRENTE

Naquela noite, muito tempo depois, Jane Mary chegou em casa encharcada. Caminhou vagorosamente, evitando as ruas mais movimentadas

Década de 1960.

Jane Mary, aos 19 anos, era linda e pensava ter o mundo pela frente. Depois de ter concluído seu curso de magistério, e namorando Romário há cinco anos, estava de casamento marcado. O casal era tido como exemplo para a conservadora sociedade da pequenina cidade de três mil habitantes.

Num sábado, faltando poucos dias para as bodas, Romário e Jane Mary, que viviam uma relação apaixonada, deixaram a igreja matriz apressados por conta da fina garoa, depois de assistirem a missa das sete e meia, em direção ao fusca amarelo do moço, estacionado na praça da catedral.

Os dois entraram no carro e, antes de dar a partida, Romário sentiu um cheiro estranho.

– Você peidou?

Jane Mary ficou corada e não teve como negar. Ela, que havia, sim, soltado um pum, discreta e lentamente, fez um sinal afirmativo com a cabeça.

Romário ficou nervoso, muito nervoso. Depois de um silêncio, desceu calmamente do carro, dirigiu-se à porta do passageiro, onde Jane Mary se encontrava, abriu-a e pediu, gentilmente, que a moça saísse dali.

Jane Mary, sem entender muito bem o que acontecia, obedeceu. Vagarosamente, e segurando uma bolsa branca de mão, deixou o automóvel.

Enquanto Jane Mary permanecia em pé, do lado de fora do fusca amarelo, Romário, ainda em absoluto silêncio, fechou cuidadosamente a porta do passageiro, deu a volta, e entrou novamente no carro, saindo em disparada. Jane Mary ficou parada na calçada, no meio da garoa.

 Romário estava atordoado. Correu com seu fusca para o bar do Tuiu e, horas depois, completamente embriagado, foi repetindo inúmeras e incontáveis vezes, para todos que queriam ou não ouvi-lo, a história que acabara de viver.

– Ela peidou. Como posso me casar e passar a vida toda com uma mulher que peida?

Naquela noite, muito tempo depois e após caminhar vagorosamente, evitando as ruas mais movimentadas, Jane Mary chegou em casa encharcada. . Entrou sem que ninguém desse conta e trancou-se em seu quarto. E, completamente imóvel, ficou ali por mais de dez dias.

O que se passou, no entanto, foi triste. Romário não quis mais saber do casamento. Encontrou-se com seu Eurico, pai de Jane Mary, para dizer que não se casaria mais com sua filha.

– Não vou mais me casar. Ela peidou. Como posso me casar e passar a vida toda com uma mulher que peida?

Sim, seu Eurico entendeu a justificativa de Romário e contra isso não conseguiu argumentos. Voltou pra casa e, enquanto Jane Mary permanecia em seu quarto, reuniu-se com a família e explicou o ocorrido.

– Jane Mary peidou. Romário não pode se casar e passar a vida toda com uma mulher que peida.

A família de Jane Mary também entendeu Romário e, respeitando o silêncio dela, nunca mais tocaram naquele assunto.

O casamento, enfim, não se realizou. Jane Mary ficou muda por cinco anos e, por exatos cinco anos, não arredou os pés de sua casa.

Ator, roteirista e cineasta. Co-fundador da Cia. Os Satyros e diretor executivo da SP Escola de Teatro.
Post criado 774

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo