Festival Satyrianas vem aí com 400 atrações em 78 horas de arte digital

Por Miguel Arcanjo Prado

Eles já fizeram peça até mesmo dentro de uma caçamba. Dessa vez, neste complicado 2020, transferiram tudo para a internet. Porque a cultura não deve parar. Um dos mais emblemáticos eventos culturais paulistanos, o Festival Satyrianas chega à sua 21ª edição com o tema Satyrianas 2020 – Pra Não Dizer que Não Falaremos das Flores.

Entre as poucas atrações presenciais, na abertura, nesta quinta, 3, estão previstas performances da Cia. Base de teatro aéreo e da diva da praça Roosevelt e do Satyros, Marcia Dailyn, que prepara uma ação de forte impacto visual em parceria com o estilista Walério Araújo. Ambas serão transmitidas digitalmente com ajuda de drone.

São 78 horas de arte digital entre 3 e 6 de dezembro com mais de 400 atrações na farta programação gratuita. O o grupo recomenda que os espectadores contribuam com os artistas o que considerarem justo. Até porque artista não vive de vento, né? Então, haja com generosidade.

Confira a programação completa do Festival Satyrianas

Segundo a Cia. de Teatro os Satyros, fundada por Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez em 1989, são mais de 100 espetáculos teatrais nacionais e internacionais no evento que integra o calendário oficial paulistano há 11 anos e que costuma reunir mais de 50 mil pessoas.

“Além disso, teremos 30 textos dramatúrgicos inéditos, mais de 70 filmes, 30 performances, 20 espetáculos de dança, 10 lançamentos de livros, entre outras atrações de audiovisual, performances, podcasts, show de variedades, música, fotografia, poesia, encontros, debates e lives”, enumera de uma tacada só Gustavo Ferreira, coordenador geral do evento, com produção geral de Silvio Eduardo e Diego Ribeiro. Ele ainda esmiúça: “Temos atrações de 22 estados brasileiros e 14 países”, dizendo um por um: “Espanha, Uruguai, Cabo Verde, Alemanha, Suécia, Portugal, Estados Unidos, Nigéria, África do Sul, Zimbabwe, Senegal, Inglaterra, Rússia e Finlândia”.

O diretor e dramaturgo Rodolfo García Vázquez lembra que 2020 é um ano especial no grupo e para o evento. “Celebramos 20 anos de ocupação da Praça Roosevelt, chegamos aqui em 1º de dezembro de 2000”, recorda.

Depois disso, foi só história: a praça, antes um lugar perigosíssimo e que poucos se aventuravam a atravessar, após a movimentação provocada pelo teatro virou efervescente point cultural do centro de São Paulo, atraindo não só outros teatros como também bares e restaurantes, além do olhar mais generoso do poder público para o espaço”. Após a chegada do Satyros, a Praça Roosevelt virou referência de urbanização em todo o mundo.

Intrépido nas redes, tanto que foi o primeiro ator do mundo a mergulhar no teatro digital e a abrir suas portas para as artes no começo da pandemia, o ator e dramaturgo Ivam Cabral avisa: “A programação será apresentada on-line, em plataformas digitais como Zoom, YouTube, Facebook, Instagram, Twitter, Whatsapp e TikTok”, conta o fundador da companhia que já produziu mais de 100 peças e se apresentou em 27 países, abocanhando mais de 100 prêmios.

Os mais recentes foram os troféus de Melhor Produção e Melhor Elenco, recebidos no último domingo, 29, do Red Curtain Festival de Calcutá, na Índia, para The Art of Facing Fear, a versão internacional da peça A Arte de Encarar o Medo, escrita por Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez. A obra inspirada pela pandemia estreou em junho no Brasil e, desde então, já foi encenada em 4 continentes: América, África, Europa e Ásia. E em 2021 será montada na Índia com novo elenco internacional.

“Vivemos tempos quase insuportáveis, de dor e ódio, tanto na nossa aldeia quanto no planeta. Mais do que nunca, precisamos fazer da nossa arte uma luz de esperança para o futuro.”, conclui Rodolfo García Vázquez.

Destaques da Satyrianas

DramaMix – anualmente a Satyrianas convida dramaturgos, roteiristas, atores, jornalistas e pessoas das mais diversas áreas para transformarem suas inquietações em dramaturgia. O resultado dessa provocação é apresentado, por artistas de diversas linguagens, em experimentos cênicos com duração máxima de 30 minutos. Um dos projetos mais antigos do festival. Nesse ano, serão mais de 30 textos inéditos.

SatyriBlack – curadoria de diversas atrações, apresentações artísticas e debates que reflitam a representatividade preta nas artes e na cultura.

Conexões – uma curadoria de espetáculos, performances e shows internacionais, todos digitais, que integram a programação.

ZapMix – projeto que acontecerá no WhatsApp, em que artistas performam durante meia-hora para pequenos grupos de pessoas numa chamada de video.

Fotomix – coletivo Fotomix, parceiro antigo do Festival, sempre documentou fotograficamente as Satyrianas. Nesse ano, investiga as possibilidades da fotografia através das telas de computadores, celulares e capturas de telas.

PodcastMix – autores escrevem séries, com curtos episódios, para serem interpretadas em forma de áudio, flertando com o que um dia foi a radionovela, ou uma websérie em áudio. Projeto inédito no festival, a cada dia, um episódio novo será lançado.

Recortes Digitais – cenas curtas gravadas, disponibilizadas como “pílulas” nas redes sociais da Cia. durante o Festival.

Show de Boate – todo ano, durante as madrugadas, acontece o show de variedades das Satyrianas, com performance, números de Drag Queens e muita música.

Epopeia dos Seres Selvagens, Loucos e Animais – projeto com curadoria de Márcio Aquiles em parceria com a Editora Giostri. Será produzido um livro durante a Satyrianas, um longo poema narrativo-visual, construído por criação coletiva durante as três semanas que antecedem as Satyrianas 2020. No dia 6 de dezembro, um ator fará a leitura de trechos da epopeia.

Grupo Sensus – comandado pela diretora e atriz Thereza Piffer, participa há mais de 10 anos da programação do Festival, sempre trazendo performances variadas que estimulem uma experiência sensorial. Nesse ano, participarão com uma performance auditiva.

Solos da Pandemia – com curadoria da produtora Cristiane Zonzini, um conjunto de 12 solos dirigidos por Nelson Baskerville, mais os solos de Claudia Missura e Helena Cerello.

Estúdio Nu – espaço parceiro, com trabalho voltado para a performance e liberdade criativa, trará performances, em duo e solo, acerca do corpo.

PapoMix e Lives – programação de debates, palestras e lives que acontecerão ao longo do Festival.

Olhares – curso sobre crítica digital ministrado por Amilton de Azevedo em parceria com a SP Escola de Teatro, dias antes da realização do Festival. Os alunos terão a chance de se experimentar escrevendo críticas das atrações do Festival.

Diálogos – projeto em que críticos escrevem resenhas das atividades que acontecem no Festival, lançadas no site oficial do evento.

A Vida no Centro – produtora comandada por Denize Bacoccino e Clayton Melo, parceira do evento, organizará uma mesa sobre Cultura Digital.

SatyriBichos – projeto que evoca reflexão sobre a proteção animal, sob curadoria da atriz Julia Bobrow, e trará 3 bate-papos com diferentes entidades de proteção.

Mostra Cine Bijou Digital – mostra que acontecerá dentro do SatyriCine, programação de cinema do Festival com mais de 70 filmes (curtas, médias longas) disponibilizados em plataforma de streaming durante os quatro dias do evento.

Cia Base – cia de dança contemporânea que estuda e pesquisa o corpo em gravidades e estruturas verticais diversas, e participará da abertura oficial do Festival, com dança vertical no paredão da SP Escola de Teatro, a ser transmitida por drones nas redes sociais da cia.

Confira a programação completa das Satyrianas

20 anos de Satyros na Praça Roosevelt

Em plena pandemia do coronavírus, a cia Os Satyros estreou 5 espetáculos on-line, dois deles com elenco internacional, reunindo atores de 10 países. Paralelamente à produção deste festival, já prepara a sexta e a sétima estreias. As 5 produções lançadas neste período também poderão ser vistas dentro do Festival Satyrianas. E como a companhia é reconhecidamente festeira, no dia 1º de dezembro acontecem as comemorações pelos 20 anos de ocupação da Praça, numa espécie de “Pré-Satyrianas on-line”. Nesta programação serão exibidos vídeos com a retrospectiva artística da companhia, e depoimentos de artistas e amigos, bem como de moradores do entorno da Praça Roosevelt, que contarão suas experiências no convívio com a arte trazida para região pelos Satyros. Rodolfo Garcia Vasquez e Ivam Cabral, fundadores da companhia, encerrarão o evento através de participação on line, relatando a importância destes 20 anos para todos os envolvidos. E a festa não para por aí, pois a companhia segue com uma vasta e variada programação ao longo dos dias de evento, trazendo atividades como:

1º de dezembro (terça-feira)
20h – Celebração – 20 anos de Satyros na Praça Roosevelt

2 de dezembro (quarta-feira)
20h – Debate – o impacto da chegada dos Satyros à região da Praça Roosevelt

3 de dezembro (quinta-feira)
14h – Oficina de teatro digital
18h – Abertura oficial de Satyrianas
20h – peça “A arte de encarar o medo”
22h – peça “Novos Normais – sobre sexo e outros desejos pandêmicos”
21h30 – “Ruínas e Construções”, com Ivam Cabral
23h30 – “Todos os sonhos do mundo”, com Ivam Cabral

4 de dezembro (sexta-feira)
Madrugada – Projeto ZapMix
14h – Oficina de teatro digital
16h30 – peça “Macbeth” (Londres) – uma parceria da Cia. Os Satyros com o Centro Interdisciplinar de Artes Performáticas Conservatório Royal Birmingham em uma releitura da obra.
18h – Palestra sobre teatro ciborgue e a experiência dos Satyros
19h – peça “Todos os sonhos do mundo”, com Ivam Cabral
21h – peça “A arte de encarar o medo”
22h30 – peça “Novos Normais – sobre sexo e outros desejos pandêmicos”
23h30 – “War of the Worlds” (Uest Cal)
23h30 – Sarau poético

5 de dezembro (sábado)
Madrugada – Projeto ZapMix
01h – “Stravaganza Cabaret” – Show de Boate
14h – Oficina de teatro digital
15h – peça “The Art of Facing Fear” – versão afro-europeia de “A Arte de Encarar o Medo”
18h – Debate – “Desafios do processo de criação digital do espetáculo Novos Normais”
19h – Debate – As descobertas dos ensaios do espetáculo de teatro digital “A Arte de encarar o medo”
21h – peça “Novos Normais – sobre sexo e outros desejos pandêmicos”
22h – peça “The Art of Facing Fear” – versão norte-americana de “A Arte de Encarar o Medo”
22h – peça “Novos Normais – sobre sexo e outros desejos pandêmicos”
23h – Palestra com Ivam Cabral – Os desafios do pioneirismo digital do espetáculo “Todos os sonhos do mundo”
23h30 – Sarau poético digital

6 de dezembro (domingo)
Madrugada – Projeto ZapMix
01h – Show de boate
14h – Oficina de teatro digital
16h – peça “A arte de encarar o medo”
18h – peça “Novos Normais – sobre sexo e outros desejos pandêmicos”
19h – Debate – As descobertas dos ensaios do espetáculo de teatro digital “A Arte de encarar o medo”
20h – peça “Todos os sonhos do mundo”, com Ivam Cabral
21h – Palestra com Rodolfo García Vázquez sobre Teatro Ciborgue
22h – Sarau poético digital
23h30 – Encerramento – show de variedades

Confira a programação completa do Festival Satyrianas

Fonte: Blog do Arcanjo

 

 

 

Ator, roteirista e cineasta. Co-fundador da Cia. Os Satyros e diretor executivo da SP Escola de Teatro.
Post criado 1391

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo