CRÍTICA | A Arte de Encarar o Medo: o que estão falando da peça

Desde o início do mês o Espaço dos Satyros está vivendo na nuvem. Inauguramos o nosso Espaço Satyros Digital que, a partir de agora, começa a funcionar com programação regular.

A primeira aventura é “A Arte de Encarar o Medo” que vem se apresentando as sextas e sábados, 21h, e domingos, 16h. Foi o jeito que encontramos para driblar este tempo maluco.

Muita gente legal tem estado conosco nestas sessões, de Aderbal Freire Filho e Alexandre Mate a Zeca Baleiro, Emílio Fontana, Silvana Garcia e Dioniso Neto. Confira algumas impressões:

“Poética nova, cheia de invenção e emoção. Deu um alento e uma boa perspectiva.”
Aderbal Freire Filho, diretor

“A resistência dos Satyros é impressionante.”
Alessandro Ribeiro, gestor financeiro

“Heterotopias em junção [des] aqui, [des] agoras, próximos em revista aos tempos de total alteridade: o outro precisa dar lugar ao semelhante. E deu.”
Alexandre Mate, professor e criítico teatral

“Cheia de efeitos digitais impressionantes – além do uso de iluminação e figurinos tradicionais! – , “A Arte de Encarar o Medo” (…) nasceu de um processo criativo totalmente à distância, no qual os atores ensaiaram ao longo de dois meses direto de diferentes cidades brasileiras e até da Suécia, onde vive a atriz Ulrika Malmgren.”
Bruno Motta, jornalista

“Experiência inovadora das artes cênicas e cheia de efeitos visuais digitais incríveis!”
Catraca Livre

“A peça digital (não sei se é uma peça, mas isso é o que menos importa neste momento) é inovadora, entre outros motivos, também porque não se limita a transpor para o novo ambiente uma encenação concebida para o palco. Antes, ela abre novas veredas para o teatro na era digital, transformando a precariedade e a impossibilidade provocada pela quarentena em impulso criativo para explorar uma nova linguagem artística, forjada no éthos dos pixels e totalmente à vontade para se moldar às janelinhas do Zoom.”
Clayton Melo, jornalista, A Vida no Centro

“Reinvenção da linguagem teatral. Os Satyros souberam muito bem explorar a passagem do plano aberto da cena para o plano aproximado da televisualidade das redes, tornando os detalhes das expressões dos atores elementos de forte dramaticidade. Selfie em movimento.”
Debora Rocha, doutora em comunicação e semiótica

“A reinvenção do teatro.”
Diana Helene Ramos, arquiteta

“Em “A arte de encarar o medo”, Os Satyros inauguram o Teatro Digital no Brasil.(…) Experiência inesquecível. (…) Um poema do Apocalipse.”
Dionisio Neto, ator e dramaturgo

“Experiência fantástica. Afeto e nova linguagem. Visceral.”
Emílio Fontana, diretor

“O espetáculo é lindo demais!”
Fabiana Seragusa, jornalista e crítica de teatro

“Impactado ainda com a peça A arte de encarar o medo. Arte necessária nos tempos atuais. (…)Manter o Teatro vivo é um ato de amor em tempos sombrios.”
Fabricio Castro, diretor

“O espetáculo é emocionante, potente, verdadeiro e ‘solitário’ (…) É lindo e a conexão é imediata.”
Felipe Moretti, ator

“Maravilhoso! Emocionante!”
Flavio Ferreira, diretor

“Os Satyros fazendo história! O teatro agradece!”
Hubert Alqueres, professor e editor

“Veja que coisa estranha é o teatro: uma linguagem capaz de dar a volta por cima de todas as técnicas e ainda assim continua sendo épico.”
Lucrecia D’Alessio Ferrara, epistemóloga da comunicação

“O primeiro espetáculo virtual de um grupo de teatro como os Satyros a gente nunca esquece. Principalmente quando, mergulhado no mundo da pandemia e, talvez, até por isso mesmo – ou mais sensível ou mais embotado –, às vezes, queremos chorar…”
Marcelo Madarász, diretor de recursos humanos

“Espetáculo inovador (não pela plataforma, em si, mas pelo conteúdo elaborado). Desta vez Os Satyros não apontaram caminhos, pavimentaram a estrada toda.”
Marcio Aquiles, crítico de teatro

“Tem que ver! Tecnologia não precisa ser apenas uma tela. Pode ser presença, linguagem e reflexão.”
Marina Wajnsztejn, cineasta

“Satyros abraça o novo, prova que entende de vanguarda e nos mostra que teatro online é teatro, sim. A Arte de Encarar o Medo é espetáculo que já nasce histórico.”
Miguel Arcanjo Prado, crítico, jornalista e dramaturgo

“Os Satyros se reinventaram no mundo da internet, transformaram uma plataforma de reuniões num espaço para que a luz da arte se instale.”
Nanda Rovere, De Olho na Cena

“A peça era o que precisava ver. É fácil senti-la porque nós vivemos a mesma coisa que é mostrado em tela (e torço pra que não se torne, de fato, quinze anos em casa). É curtinha mas intensa, engraçada e provocativa. Os efeitos, até serem comentados pela própria equipe Os Satyros, nos encanta e faz qualquer um que não domine a plataforma Zoom – que é por onde eles se apresentam-, acreditar que há uma grande equipe por trás por tudo aquilo.”
Nerd Recomenda

“Está inaugurado o teatro digital!”
Paulo Hermano, professor

“Não me senti longe estávamos perto e com histórias e sensações e sentimentos comuns. Éramos um mundo ali, todos iguais. Tragédia e comédia,  a festa, a morte (…) Este espetáculo é a entrada para um mundo criativo e o cyberteatro é mesmo realidade.”
Pedro Martinho, ator português

“A maior de todas as experiências nesse período: “A Arte de Encarar o Medo”, do Grupo Os Satyros de São Paulo. Uma pesquisa madura que traduz a ousadia e o talento desse coletivo que faz teatro, liderado por Ivam Cabral e Rodolfo García Vásquez, há mais de 30 anos.”
Renato Farias, diretor

“Vocês são fodas. Estou aqui chorando…”
Rosana Stavis, atriz

“Recomendo calorosamente a peça, mesmo que não fale português (…) Para além de abordar a situação atual de uma perspectiva de futuro distópico (após 5.555 dias de quarentena) de uma forma provocadora e imensamente comovente, a peça é uma verdadeira inovação na área do teatro digital que trouxe esperança (…) há formas de manter o teatro vivo (e renová-lo) com um grande conjunto, mesmo quando se confinado à quarentena.”
Sanna Ryynänen, pedagoga finlandesa

“Fiquei impressionada com a competência técnica, a facilidade com que Os Satyros lidam com essa mídia e a plataforma.”
Silvana Garcia, diretora e curadora

“A linguagem é impressionante!”
Tati Helene, cantora lírica

“Impressionante!”
Zeca Baleiro, cantor e compositor

Ator, roteirista e cineasta. Co-fundador da Cia. Os Satyros e diretor executivo da SP Escola de Teatro.
Post criado 1077

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo