45 mil pessoas aplaudem Festival Satyrianas no digital

Por Miguel Arcanjo Prado

45 mil pessoas aplaudiram o 21º Festival Satyrianas no ano em que a Cia. de Teatro Os Satyros comemora 20 anos da inauguração de seu Espaço dos Satyros, na Praça Roosevet. Chamado pelo grupo de Uma Saudação à Primavera, o tradicional evento foi realizado entre os dias 3 e 6 de dezembro.

Totalmente digital por conta da pandemia da Covid-19, o festival apresentou 319 atividades entre teatro, dança, performance, literatura e música; além de 98 filmes que compuseram a mostra Satyricine, uma das atrações do festival.

Só o filme A Filosofia na Alcova (2016), produzido pela Satyros Cinema, o braço audiovisual da companhia, foi acessado por 1.501 equipamentos, durante os quatro dias de evento. O longa Hipóteses para o Amor e a Verdade (2014), também da Satyros Cinema, contou com 1.292 visualizações.

Neste ano, o Festival Satyrianas recebeu artistas de 15 países (África do Sul, Alemanha, Brasil, Cabo Verde, Espanha, Estados Unidos, Finlândia, Nigéria, Portugal, Reino Unido, Rússia, Senegal , Suécia, Uruguai e Zimbabwe); e de 21 estados brasileiros (Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Maranhão, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, São Paulo, Santa Catarina, Sergipe e Tocantins), além do Distrito Federal.

Das 417 atrações anunciadas, apenas 4 foram canceladas, por motivos técnicos ou problemas com conexão de internet.

A atriz Mariana França e o ator André Lu, pela organização do evento “SatyriBlack”, foram eleitos as Personalidades Satyrianas 2020, anunciados na cerimônia de encerramento pela atriz Marcia Daylin, diva da Praça Roosevelt.

O concurso “Dramaturgias em Pandemia”, promovido pelo Satyrianas em parceria com a Editora Giostri, revelou os vencedores, que serão editados pela editora. São eles:

– “O Bote da Rêmora”, de Kevin Balieiro
– “Tartarugas no Asfalto”, de Noah Marinho
– “É Bonito Morrer em Setembro”, de Jota B
– “Quase Sempre um Sonho”, de Conceição
– “Abominável Mundo Novo”, de Jonatan Cabret
– “Passeio aos domingos”, de Julião Galeno

Idealizado pela Cia. de Teatro Os Satyros, o evento, que realizou neste ano sua 21ª edição, contou com curadoria de Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez, fundadores do grupo, em parceria com Alex Giostri, Andre Lu, Amilton de Azevedo, Cristiane Zonzini, Diego Ribeiro, Guilherme Marback, Hugo Godinho, Janna Julian, Julia Bobrow, Luciana Camargo, Marcio Aquiles, Mariana França, Miguel Arcanjo Prado, Priscila Magalhães, Rafael Martins Gregorio, Ruy Filho, Silvio Eduardo, Stella Stephany, Thereza Piffer e Gustavo Ferreira, que responde pela coordenação geral do evento desde 2009.

Desde 2009, o festival Satyrianas faz parte do calendário oficial do Estado de São Paulo, incluído através da Lei 13.750 de autoria do deputado estadual Carlos Giannazi (PSOL). O festival também rendeu à Cia. Os Satyros os prêmios: APCA (2007), Shell (2013), Aplauso Brasil (2014) e Arcanjo de Cultura (2019).

Fonte: Blog do Arcanjo

Ator, roteirista e cineasta. Co-fundador da Cia. Os Satyros e diretor executivo da SP Escola de Teatro.
Post criado 1244

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo